terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Niterói, RJ

Sarampo: 17 casos suspeitos são investigados no Rio

Publicado em 05/07/2018 - 17:10

 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) investiga 17 casos suspeitos de sarampo no estado do Rio. Entre eles, a pasta também acompanha um caso com resultado preliminar positivo para a doença. A ocorrência, no entanto, ainda depende de confirmação do laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Até  terça (3), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que eram quatro casos suspeitos de sarampo investigados no estado. No mesmo dia, a SMS fez uma ação para imunizar estudantes da Faculdade de Direito da UFRJ, onde estuda a primeira paciente a apresentar suspeita de sarampo.

Ao todo foram aplicadas 573 doses da vacina na instituição de ensino. Agora, a aluna da UFRJ passa por tratamento em São Paulo, onde vive a família da jovem. No Município do Rio, os últimos casos confirmados de sarampo foram considerados importantes ocorreram em 2014.

No Brasil, a proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde para crianças aos 12 e aos 15 meses. A cobertura vacinal contra a doença para crianças de 1 ano na cidade é de 107%.

A segunda dose da Tríplice Viral (SCR), para adolescentes e adultos que não tenham sido vacinados adequadamente na infância, também está disponível nas unidades municipais de Atenção Primária (Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde).

Surto da doença no país

No total, Amazonas e Roraima têm 463 casos confirmados da doença.

No Mato Grosso, um homem de 31 anos e uma mulher de 30 foram diagnosticados com sarampo, em Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá. Foram os dois primeiros casos registrados após 19 anos sem notificações da doença no estado.

O sarampo está de volta no Brasil?

Segundo o Ministério da Saúde, antes desses ocorrências nos estados de Amazonas, Roraima e Mato Grosso, o último caso da doença foi em 2016, quando houve um surto da doença no Ceará.

(G1)

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE