sábado, 17 de novembro de 2018

Niterói, RJ

‘Cachorro de rua’ adotado por delegacia ajuda a prender bandido

Publicado em 06/11/2018 - 17:06

 

Um boêmio de quatro patas, que dorme durante o dia e que, à noite, costuma saracotear num bar atrás de um hamburguer ou uma coxinha, antes de voltar para seu posto. Assim é Amarelo, um cachorro de 12 anos, sem raça definida, mais conhecido pelos policiais como o SRD que tira plantão de 24 horas na 21ªDP em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio.

Na madrugada de sábado, o cachorro estava “de serviço” e ajudou o inspetor Luiz Carlos Barbosa a perseguir e prender um criminoso.

O homem havia acabado de agredir duas mulheres na porta da delegacia de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O policial recebeu um pedido de socorro e deu voz de prisão ao homem.

Ao ser abordado, ele tentou tirar a arma do inspetor. Houve luta e o criminoso resolveu fugir correndo. Amarelo viu a cena e disparou. Mais rápido do que muita gente, o cão cruzou os quarteirões da Avenida dos Democráticos e só parou quando conseguiu abocanhar o calcanhar do agressor. A dentada fez o perseguido cair no chão. O inspetor se aproximou e algemou o fugitivo, que não se feriu gravemente.

No dia seguinte, o cão viveu seus minutos de fama. Entre um bocejo e outro, em pleno período de descanso diurno, Amarelo posou para fotos e para câmeras de emissoras de TV. O cachorro, é claro, foi recompensado. Além da ração diária e de doses de carinho, ele recebeu do delegado Wellington Vieira um mimo.

“Ele foi de extrema valia e ganhou um prêmio sim. Comprei uma coleira e mandei fazer um pingente com a inscrição “21ª DP”. Foi pendurado no pescoço dele”, disse o delegado.

O inspetor Luiz Carlos não se surpreendeu com a ajuda recebida de Amarelo.

“O mérito da prisão é todo dele. Não é nada de anormal para o Amarelo. Este cachorro está aqui há oito anos e é familiarizado com a gente. Se houver algum policial em situação de risco, ele vai se colocar em nossa defesa. Já tinha me ajudado antes. Uma vez, um drogado tentou invadir a delegacia e o cachorro ficou o tempo todo ao meu lado, ajudando na prisão”, disse o inspetor.

Segundo os policiais, Amarelo já teve um relacionamento sério e gerou até alguns filhotes, que ficaram com a mãe. O cachorro não tem problema em lidar com a paternidade. E só perde o bom humor quando assunto é banho. Ou quando algum outro cão se aproxima do seu reduto.

“Ele só não gosta muito é do banho. Também não permite que outro cachorro entre na delegacia. O pedaço é dele! Todos aqui amam o Amarelo”, disse uma inspetora, entre um afago e outro no animal.

Fonte: Jornal Extra e Boletim de Ocorrência

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE