segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Niterói, RJ

Concurso da UERJ abre 120 vagas para Técnico de Enfermagem

Publicado em 12/09/2018 - 21:15

 

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ – publicou o edital nº 02/SRH/2018 referente ao processo de seleção para preenchimento de 120 vagas, todas elas para o cargo de Técnico de Enfermagem. O concurso UERJ 2018 será realizado pela CEPUERJ – Coordenadoria de Processos Seletivos.

Vagas

Em disputa estão 120 vagas, deste total, 90 vagas são de ampla concorrência, 6 são para candidatos portadores de necessidades especiais e 24 para candidatos negros e índios.

Para concorrer a este cargo é necessário possuir nível médio e curso técnico em enfermagem, além de registro no COREN. A remuneração é de R$ 3.150,00 para 30 horas semanais.

Atribuições do cargo

Realizar cuidados de enfermagem;

Atividades de educação em saúde direcionadas ao cliente e sua família;

Controlar sinais vitais;

Fazer curativos simples;

Realizar higiene do cliente, de acordo com o nível de complexidade;

Atender ao cliente nas suas necessidades fisiológicas;

Preparar e administrar medicamentos prescritos;

Executar lavagens, aspirações, nebulizações e outros procedimentos;

Preparar clientes para consultas e exames;

Colher materiais para a realização de exames;

Auxiliar em procedimentos, exames e intervenções clínicas;

Realizar exames, após a devida capacitação;

Executar cuidados “post-mortem”;

Registrar tarefas executadas, observações e intercorrências do cliente;

Manusear equipamentos hospitalares;

Atividades de assistência ao trabalhador de enfermagem;

Recepção, conferência, limpeza e esterilização de artigos médico-hospitalares;

Instrumentalizar cirurgias, quando possuir certificado;

Realizar o transporte de clientes em ambiente interno aos serviços de saúde;

Executar outras atividades correlatas ao cargo.

Inscrições

As inscrições serão realizadas apenas via internet através do endereço eletrônico http://www.cepuerj.uerj.br e durante o período de inscrição, que vai de 10 de setembro e 19 de outubro de 2018.

O valor da taxa de inscrição é de R$ 100,00.

Poderão solicitar a isenção da taxa de inscrição o candidato que:

Possua renda familiar per capita de até meio salário-mínimo nacional, desde que esteja inscrito no CadÚnico do Governo Federal;

Comprovar possuir renda bruta familiar mensal de até três salários mínimos;

Comprovar ser doador de medula óssea.

O concurso UERJ 2018 será composto apenas por prova objetiva, a ser realizada na data provável de 03 de fevereiro de 2019 e com duração máxima de quatro horas, sendo que o candidato só poderá se retirar do local da prova após uma hora de seu início.

A prova objetiva valerá 130 pontos e será composta por 10 questões de Língua Portuguesa, 15 questões e Políticas de Saúde e 45 questões de Conhecimentos Específicos. Cada questão de Língua Portuguesa valerá 1 ponto. As demais questões valerão 2 pontos cada. Serão aprovados os candidatos que obtiverem a nota mínima de 65 pontos.

Ocorrendo igualdade de nota final de classificação, o desempate será definido de acordo com os seguintes critérios:

Maior idade, entre os candidatos com mais de 60 anos;

Maior número de acertos em Conhecimentos Específicos;

Maior número de acertos em Políticas de Saúde;

Maior número de acertos em Língua Portuguesa;

Maior idade, entre os candidatos com idade inferior a 60 anos;

Sorteio público.

Conteúdo programático da prova

Língua Portuguesa: classes gramaticais; colocação pronominal; compreensão textual; concordância nominal; concordância verbal; crase; elementos da comunicação; figuras de linguagem; formação de palavras; frase, oração e período; gêneros textuais; hipônimos e hiperônimos; modos discursivos; morfologia; orações subordinadas; palavras denotativas; regência; semântica; significado das palavras; sinônimos e antônimos; sintaxe; e tipos de linguagens;

Políticas de Saúde: ações de promoção, proteção e recuperação da saúde; atenção básica; Constituição Federal de 1988; legislação do SUS; Lei Orgânica da Saúde; pactos pela saúde; Política Nacional de Humanização (PNH); princípios e diretrizes do SUS; e Sistema Único de Saúde – SUS;

Conhecimentos Específicos: enfermagem em saúde coletiva; enfermagem médico-cirúrgica; enfermagem na saúde da criança e do adolescente; enfermagem na saúde da mulher nas diferentes fases da vida; enfermagem na unidade de central de material e esterilização; enfermagem nas situações de urgência e emergência; enfermagem no centro cirúrgico e na recuperação anestésica; enfermagem saúde mental; ética e legislação em enfermagem; e fundamentos de enfermagem.

Para o conteúdo programático detalhado e referência bibliográfica, consulte o anexo II do edital.

Validade

O concurso UERJ terá validade de dois anos, a partir da data de publicação na imprensa oficial do Estado do Rio de Janeiro, da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado uma única vez por igual período ou prazo original de validade, a critério da Superintendente de Recursos Humanos.

Edital

O edital está disponível no site do Centro de Produção da UERJ – CEPUERJ, através do link “Concursos”, “Concurso Público Técnico em Enfermagem UERJ 2018”.

A UERJ

A UERJ foi criada em 1950 e possui cursos de graduação, pós-graduação e extensão em diversas áreas. Atualmente são cerca de 23 mil alunos distribuídos em 30 unidades acadêmicas nas cidades do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Nova Friburgo, Resende, São Gonçalo, Teresópolis e Ilha Grande no município de Angra dos Reis.

Além das unidades acadêmicas, a UERJ possui ainda a Policlínica Piquet Carneiro, e o Hospital Universitário Pedro Ernesto, da qual fazem parte o Núcleo Perinatal e o Centro Universitário de Controle de Câncer.

Dicas para as provas  da UERJ – Síntese sobre o Pacto Pela Saúde

O Pacto pela Saúde foi instituído em 2006 por meio da Portaria nº 399, sendo ele um agrupamento de reformas institucionais do SUS (Sistema Único de Saúde) firmado entre as três esferas de poder, que estabelece metas e responsabilidades de cada um destes entes, visando aumentar a eficiência e qualidade do SUS.

O cumprimento deste Pacto se dá pela concordância de municípios, estados e união por meio do “Termo de Compromisso de Gestão (TGC)”. Tal documento estabelece metas e compromissos para cada um dos entes federativos, sendo importante ressaltar que o mesmo deve ser revisto anualmente.

Outro aspecto positivo é que com o Pacto pela Saúde as formas de transferências dos recursos federais para municípios e estados, passando a ser composto por cinco blocos de financiamento, sendo eles: atenção básica, atenção de média e alta complexidade, vigilância em saúde, assistência farmacêutica e gestão do SUS, devendo compor memoriais de cálculo, para fins de histórico e monitoramento.

O Pacto possui três dimensões, que sãos:

Pacto pela vida

Trata-se de uma agenda com metas, as quais são formuladas pelas três esferas de poder (municipal, estadual e federal) tendo como foco principal os resultados. Essas metas podem ser acrescentadas/mudadas por necessidades da região.

Dentre os principais resultados almejados com o pacto pela vida estão: implantação de programas que visem o bem estar do idoso com cuidados em tempo integral; redução das taxas de mortalidade por câncer do colo de útero e de mama; diminuição das taxas de mortalidades neonatal; infantil e mortalidade materna; controle de doenças emergentes e endêmicas; promoção de saúde e da qualidade de vida e atenção à saúde básica.

Pacto em defesa do SUS

Visa o fortalecimento do SUS como uma política de estado (aquela que não muda com as mudanças sucessivas de governo), envolvendo ações concretas e articuladas pelas três esferas de poder. Sendo assim, a consolidação deste Pacto traz uma “repotilização” da saúde, com estratégias de mobilização social e instituição da saúde como direito e promovendo a cidadania.

Tem como principais objetivos: Implementar um projeto permanente de articulação e mobilização social com objetivo de mostrar a saúde como um direito de cidadania e o SUS como sistema público e universal que garante tais direito, e elaboração e divulgação da “Carta dos direitos dos usuários do SUS”.

Pacto de Gestão do SUS

Estabelece as responsabilidades de cada esfera de poder com foco em diminuir as competências de poder, evidenciando uma gestão compartilhada e solidária do SUS. Desta forma, os municípios e estados tem maior autonomia.

Possui como prioridades: definir de forma clara responsabilidade de cada esfera de poder e estabelecer diretrizes para a gestão do SUS.

Outras considerações importantes sobre o Pacto pela Saúde:

*Definição não só das atribuições dos gestores, mas também responsabilidades sanitárias;

*A consolidação do pacto resulta de esforços de todos os envolvidos no cumprimento das responsabilidades, atribuições, objetivos e metas;

*O monitoramento e avaliação do pacto devem ser práticas repetidas ao longo dos anos, utilizando indicadores pactuados e que fazem parte do TCG;

*O pacto visa superar problemas políticos, técnicos e administrativos que de alguma forma dificultam a partição mais efetiva e autônoma dos municípios no SUS.

*A adesão neste pacto não deve ser feita de forma unilateral, pois necessita de um processo de cooperação entre os gestores e negociações locais, regionais, estaduais e federais.

Fonte: Concursos no Brasil

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE