terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Niterói, RJ

Polícia investiga morte de PM carbonizado em São Gonçalo

Publicado em 24/07/2018 - 16:39

 

A Delegacia de Homicídios (DHNSGI) investiga a morte do policial militar encontrado carbonizado dentro da mala do próprio carro, na manhã de segunda-feira, na Estrada da Comperj, em São Gonçalo.  O cabo PM Samuel Ribeiro da Silva, de 40 anos, também era cantor gospel e foi abordado por criminosos quando se dirigia a uma igreja. Reconhecido como PM, foi levado para o interior do Complexo do Salgueiro, onde foi morto.

Parentes do policial disseram ao RJTV, da TV Globo, que ligaram para o batalhão da área pedindo ajuda, mas como resposta ouviram dos PMs que ‘estava tarde para uma operação’.

“O que deveria ser feito, o supervisor de dia, ele deveria reunir toda a equipe e entrar e tirar de lá o meu irmão. Na verdade, isso não foi feito. Não foi tomada essa atitude. Omissão, negligência, incompetência. Como reparar isso? Vai pedir perdão? Desculpa?”, apontou o irmão de Samuel, Simões Ribeiro.

Em ligação anônima ao 190, uma pessoa contou que traficantes levaram o policial para uma das entradas do Complexo do Salgueiro, em Guaxindiba, considerado um dos locais mais violentos da região.  Na ligação, a testemunha disse ainda que um carro havia sido parado por bandidos por volta das 19h, na Avenida Monteiro de Barros.

A marca e placa do carro informadas pelo denunciante bateram com as referências do veículo de Samuel. Na madrugada, um parente também pediu ajuda, mas foi dito que a PM não poderia fazer nada porque não tinha condições de ir ao local à noite.

Ao RJTV, o porta-voz da PM, major Ivan Blaz, informou que um tenente, identificado como Vinhas, foi preso no 7º BPM. Ele era o oficial de dia na unidade na noite de domingo e teria ignorado o pedido de socorro da família do cabo.

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE