terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Niterói, RJ

Preços dos imóveis caem em Niterói e Rio de Janeiro

Publicado em 04/01/2018 - 13:53

 

As cidades do Rio e de Niterói tiveram as maiores quedas nos preços de imóveis residenciais à venda no país em 2017, segundo o Índice FipeZap. No Rio, o recuo foi de 4,45%, enquanto na cidade vizinha foi de 3,43%. Apesar do tombo no preço, o Rio se mantém como a cidade com o metro quadrado mais caro do país, valendo R$ 9.811. Em 2017, 13 das 20 cidades pesquisadas viram o preço dos imóveis residenciais à venda cair.

No Brasil, o preço médio dos imóveis residenciais à venda teve retração de 0,53% no ano passado, a primeira vez que o indicador teve queda nominal em um ano completo desde quando a série começou a ser apurada, dez anos atrás. Se descontada a inflação — considerando a estimativa do Boletim Focus, do Banco Central, de 2,78% para 2017 — a queda real no preço dos imóveis foi de 3,23%. O valor médio do metro quadrado fechou em R$ 7.631.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Como a inflação caiu, essa queda real nos valores do país ficou abaixo da registrada em 2016, quando o IPCA, medido pelo IBGE, foi de 6,29%. Com isso, em 2016, apesar de o índice FipeZap ter avançado 0,57%, os preços tiveram recuo real de 5,38%.

Atrás do Rio, São Paulo ostenta o segundo lugar no ranking de metro quadrado mais caro do país, com R$ 8.745. Em seguida, vem Distrito Federal, com R$ 8.238, e Niterói, com R$ 7.225. Os bairros cariocas mais valorizados foram Leblon, onde o preço para venda chega a R$ 20.757/m² — mais que o dobro do valor médio no mercado carioca — e Ipanema, a R$ 19.378. Na outra ponta, os menores valores estão em Cavalcanti (R$ 2.286) e na Pavuna (R$ 2.292).

Os valores mais baixos no Brasil são os registrados na mineira Contagem (R$ 3.521) e Goiânia (R$ 4.137).

Na direção inversa, das sete cidades que viram o preço do metro quadrado subir em 2017, apenas duas registraram variação acima da inflação: Belo Horizonte (4,8%) e Florianópolis (4,3%).

/Extra/Foto: Flickr

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE