terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Niterói, RJ

Niterói está sitiada por criminosos e candidatos suspeitos

Publicado em 27/09/2018 - 14:20

 

Quatro homens surgiram armados em meio ao engarrafamento próximo à entrada para o Bairro de Caramujo, na tarde de quarta-feira (26) e realizaram um arrastão na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-104), sentido Alameda São Boaventura. Levaram celulares, dinheiro, joias e três veículos das vítimas. Em seguida, embrenharam-se pelas favelas nas proximidades da vida e não foram localizados pela polícia.

Segundo testemunhas que trabalham próximo ao local, arrastões próximos à entrada do Caramujo já viraram rotina, principalmente quando viaturas da Polícia Militar estão ausentes. Essas pessoas que não querem se identificar contam que às vezes os policiais viram alvos de criminosos que ficam em cima dos morros atirando em direção ao asfalto.

Sitiadas por criminosos, as cidades de Niterói e São Gonçalo continuam fragilizadas, e seus moradores só podem contar com a proteção divina para entrar e sair de casa com segurança. Porque a intervenção militar, que tem o término da sua atuação previsto para dezembro, não surtiu o efeito desejado.

Os arrastões que se repetem no Caramujo também acontecem no Novo México, distante dois quilômetros dali, ocorrem com frequência ainda na Rodovia Niterói-Manilha e em bairros dentro da área urbana, como na Região Oceânica, Santa Rosa e Icaraí, em Niterói.

A tristeza é ainda maior quando a população olha para o futuro próximo e não vê solução à vista. Porque, infelizmente, os debates entre os candidatos ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, são por demais superficiais quando o assunto é segurança pública. Todos querem dotar a polícia de inteligência, como se os policiais não soubessem, desde há muito tempo, onde ocorrem os crimes, quem os pratica e onde se escondem.

Mas, em se tratando de política pública, nada é tão ruim que não possa piorar. Afinal, o que devemos esperar de políticos que fazem acordo com traficantes e milicianos, que vendem currais eleitorais, em troca de dinheiro e proteção?

Segundo o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, traficantes do Morro do Cavalão, em Niterói, “negociaram” votos dos moradores durante as eleições de 2016. Segundo escutas telefônicas, o atual presidente da Câmara de Vereadores de Niterói, Paulo Roberto Mattos Bagueira Leal, pode ter sido um dos que negociaram compra de votos de moradores da região. Os áudios estão sendo investigados. Paulo Bagueira nega as acusações.

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE