terça-feira, 23 de abril de 2019

Niterói, RJ

Corrupção: 96 PMs facilitavam a venda de droga em Niterói e São Gonçalo

Publicado em 29/06/2017 - 14:18

Foto: Estefan Radovicz, O Dia

0 - policialpreso-megaoperacao-foto-estefan-radovicz

Dilson Ornelas, Niterói Urgente

Uma megaoperação da Polícia Civil prendeu 41 policiais militares já nas primeiras horas dessa quinta-feira (29), em Niterói e São Gonçalo. Os mandados de prisões foram emitidos para 96 PMs do 12ºBPM (Niterói) e 7ºBPM (São Gonçalo), acusados de organização criminosa, corrupção passiva e ativa e tráfico, entre outros crimes.

Curta nossa Página no Facebook. Siga-nos no Twitter

De acordo com as investigações, que começaram em fevereiro de 2016, os policiais receberam mais de R$ 1 milhão para liberar a venda de drogas em cerca de 50 comunidades nos dois municípios. O dinheiro era entregue pessoalmente por traficantes aos policiais fardados, ou entregues por dois intermediários, Daniel Soares e Renato Drumond Tardin, que já estão presos.

LEIA TAMBÉM

Propina do tráfico: Escutas flagram conversa entre PMs e traficantes

Além dos 96 mandados contra os policiais militares expedidos pela  2ª Vara Criminal de São Gonçalo e Auditoria da Justiça Militar, a megaoperação também emitiu 70 mandados de prisão contra traficantes de droga e 100 mandados de busca e apreensão.

A investigação apurou que era comum os militares também revenderem a droga para o tráfico, cobrar entre R$ 1 mil e R$ 5 mil de propina e, algumas vezes, sequestrar pessoas ligadas ao tráfico, cobrando até R$ 10 mil pelo resgate.

O INÍCIO

A investigação teve início em fevereiro do ano passado, quando policiais civis que estavam presentes na cena de um crime na Avenida do Contorno, onde um policial aposentado havia sido assassinado, perceberam um carro que passou várias vezes pelo local.

O veículo era dirigido por um traficante que carregava R$ 28 mil. Ele foi preso e, através de delação premiada, contou que tratava-se de dinheiro de propina que deveriam ser entregues a policiais militares.

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE