domingo, 28 de maio de 2017

Niterói, RJ

Juliana Coutinho conta experiência com relacionamento abusivo

Publicado em 29/06/2016 - 01:42

0 - juliana-coutinho-2

Oi gente! Eu estava a algum tempo querendo fazer este post, por motivos de querer compartilhar com vocês, mais uma experiência que passei em minha vida. Que por sinal, é um dos assuntos mais comentados hoje em dia. Um dos maiores motivos deste post, é pelas minhas MANAS que estão vivenciando essa experiência.

A experiência é sobre RELACIONAMENTO ABUSIVO.

Eu tinha 16 anos (2006) quando conheci o “Fernando” (nome fictício). Fazíamos curso técnico no Senai, mas éramos de cursos diferentes. A gente sempre se via, mas nunca rolou nada, até o dia em que a minha turma iria fazer uma apresentação para todas as turmas e eu fiquei designada em ir em todas as turmas para convidar todos os alunos e professores. E pra minha surpresa, a primeira turma que eu fui convidar foi a dele. Na minha timidez exagerada na época, eu mal conseguia falar com ele me encarando… ele falou que iria assistir a apresentação com o maior prazer.

No dia seguinte ele me adicionou no ORKUT (muito tempo, hein rs) e começamos a conversar todos os dias. Foi crescendo uma amizade muito boa entre nós. Quando um dia ele me chamou pra sair e eu aceitei. Depois da apresentação da minha turma saímos, rimos, conversamos, ficamos… Foi muito louco porque ele me pediu em namoro depois de três dias.

Eu nunca tinha namorado na minha vida, fiquei com um pé atrás em aceitar, mas acabei aceitando porque eu gostava dele e de estar com ele. Ficamos um tempo namorando escondido por eu ser da igreja na época e meus pais serem muito rigorosos. Ficamos uns meses namorando assim e logo ele veio na minha casa pedir minha mão em namoro para os meus pais. Fiquei tão feliz por não ter que esconder mais o nosso relacionamento. Ele era como um príncipe encantado.

Só não sabia o que esse namoro iria virar.

O primeiro ano de namoro foi uma maravilha, brigas bobas, saídas, festas de familiares, aquela onda de apresentar o namorado pra todo mundo conhecer. Quando completamos um ano e meio de relacionamento, o inferno começou (me desculpem a palavra ‘inferno’, mas somente esta palavra define o que aquilo se tornou pra mim).

O meu ex começou a demonstrar um ciúme muito forte por mim. No começo isso não me afetou tanto, porque ele passava um ciúme bobo, um ciúme que ainda não dava em brigas extremas, eu achava até normal.

Os absurdos começaram quando eu comecei a estudar à noite (eu fazia supletivo). Uma vez ele veio me visitar no meio da semana sem me avisar (coisa que eu odiava, mas ele sempre fazia isso), eu comecei a me arrumar para ir à aula, quando ele começou a implicar com a minha roupa, com a minha maquiagem e por incrível que pareça com a quantidade de perfume que eu colocava.

0 - relacionamento-abusivo

Na época de orkut eu conversava muito com os meus amigos do meu antigo colégio, ele descobriu a senha do meu orkut e msn (até hoje não sei como) e excluiu a maioria dos meus amigos que ele achava que era de ameaça pra ele e ainda mandou mensagens pra eles, dizendo para não se aproximarem de mim e nem me adicionar novamente. Quando eu descobri isso, fui conversar com ele. E o que ele fez? Me fez me sentir a errada e culpada em conversar com todas aquelas pessoas que de alguma forma, fizeram parte da minha vida durante ANOS. E assim, ele foi afastando todos os meus amigos de mim, alguns se afastaram por conta própria.

Um dos acontecimentos que me marcou muito foi no aniversário de 1 aninho de um primo meu, ele foi comigo e com a minha mãe. Estávamos sentados na mesa, com minhas primas e tias, quando chegou um conhecido meu, ele de longe olhou pra mim, sorriu e me cumprimentou de longe e falou que depois iria na mesa falar comigo. Algo de errado em um conhecido te cumprimentar? Pra ele sim! No momento em que o menino me cumprimentou e sorriu de longe, o meu ex me deu um apertão na coxa, já me indagando o que ele era meu, se a gente já tinha ficado alguma vez. E eu expliquei que não tinha nada a ver, que ele era apenas um conhecido. Ele enfiou na cabeça ciumenta dele que o garoto não parava de me olhar… ele levantou empurrou a cadeira que ele estava sentado em cima de mim e ainda empurrou a mesa onde estávamos dividindo com outras pessoas da minha família e foi embora, me deixando sozinha com a minha mãe lá. Eu não sabia onde enfiar a cara naquele momento. No mesmo dia quando eu cheguei em casa, eu mandei uma mensagem pra ele, dizendo pra ele ir na minha casa no outro dia para conversarmos sobre o nosso relacionamento, ele topou numa boa. Naquele momento, eu estava decidida terminar aquele relacionamento que estava me levando à depressão.

No dia seguinte, ele foi pra minha casa, com chocolates e um buquê de flores… não me deixei levar por isso. Antes de começarmos a conversar, ele pediu desculpas à minha mãe pelo ocorrido no dia anterior. Depois fomos conversar, eu falei com todas as letras que estava terminando o namoro com ele… ele me interrompeu, começou a me pedir desculpas por tudo o que ele já tinha me feito, pelos ciúmes, pelas atitudes agressivas… daí começou com aquele papo de que me amava, e que era por isso que ele agia daquela forma. Falou que iria fazer de tudo para mudar. Por fim, me pediu uma chance e eu dei. Mas depois de 2 meses voltou tudo a mesma coisa, e com mais frequência.

Quando me vi, estava em uma depressão profunda.

Durante a depressão tudo piorou. A gente passou a brigar até por telefone e internet. Eu passei a me cobrar muito no relacionamento. Todas as brigas que geralmente ele que estava errado agindo ABUSIVAMENTE, eu me sentia culpada por tudo aquilo. De alguma forma eu acreditava que a culpa era minha, que todo aquele ciúme, aquele sentimento de posse, aquele medo de perder era amor e que tudo o que ele fazia era porque ele me amava…

Não teria como contar aqui pra vocês todos os acontecimentos depois desta chance que eu dei pra ele. Fiquei neste relacionamento por 4 anos e meio, e digo pra vocês, foi um dos piores momentos da minha vida. E quando eu terminei de vez esse relacionamento, ele tentou me matar, jogando o carro em cima de mim. Mas depois, senti uns dos melhores alívios da vida.

FATORES DE UM RELACIONAMENTO ABUSIVO QUE SOFRI

Minimizava minhas conquistas e não me incentivava a conquistar meus sonhos.

Me fazia me sentir incapaz de tomar decisões.

Me intimidava, me ameaçava e me fazia me sentir culpada por tudo.

Falava o que eu poderia vestir ou não.

Me dizia que eu não era nada sem ele e que ele não era nada sem mim.

Me tratava de maneira grosseira e me agrediu uma vez no rosto.

Me ligava várias vezes ao dia pra saber se realmente eu estava em casa.

Me culpava pela maneira que eu agia e sentia.

Fazia pressão para fazer sexo, mesmo eu não me sentindo preparada (na época eu era virgem).

Me dava a sensação de que não tinha como eu sair do relacionamento.

Evitava que eu fizesse coisas que eu gostava, como ficar perto da família e de amigos.

Ele tentou se matar na minha frente, entre outros.

“Relações abusivas são caracterizadas por jogos de controle, violência, ciúmes, abstinência sexual e frieza emocional. É difícil identificar uma pessoa abusiva. Costuma ser esperta e pode facilmente fazer com que você pense que não é boa/m o suficiente e que tudo é por sua culpa. É tão difícil recuperar-se de um abuso emocional como é de um abuso físico. O abuso emocional provoca baixa auto-estima e depressão. Uma pessoa abusiva pode dizer que ama você e que irá mudar, portanto você não tem que deixá-la. No entanto, quanto mais vezes você a recebe de volta, mais controle ela ganhará sobre você. Promessas vazias tornam-se a norma. Tenha certeza de prestar atenção em suas ações e não apenas em suas palavras. Relacionamentos abusivos nunca são abusivos no início.”

SINAIS DE UMA PESSOA ABUSIVA

Ciúmes e possessividade

Controle

Superioridade

Manipulação

Mudanças de humor

As ações e as falas são diferentes

Pune você

Desrespeito

Hoje leio todos os dias relatos de meninas que estão em um relacionamento abusivo, e sinto a dor no meu coração quando leio cada relato. Por eu já ter passado por isso, sinto como se fosse comigo. Não é fácil sair de um relacionamento abusivo, não é fácil perceber que não é amor. É doloroso e traumatizante e muitas dessas meninas ficam com depressão assim como eu fiquei. Acreditem em você e no potencial de vocês que eu sei que é enorme. Você não precisa passar por isso, você não precisa dele do seu lado.

VOCÊ MERECE SER FELIZ!

Por meio deste post venho encorajar todas as mulheres que estão em um relacionamento abusivo a botar um ponto final neste ciclo de violência. Quero ressaltar também que todas vocês são lindas e especiais e que merecem bem mais que isso que estão oferecendo à vocês. Amor-próprio é tudo na vida, se vocês não se amarem em primeiro lugar, quem vai amar?

Relacionamento Abusivo NÃO É AMOR!

Acesse o Blog de Juliana Coutinho

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE