quinta-feira, 27 de abril de 2017

Niterói, RJ

‘New York Times’ critica comportamento da torcida brasileira

Publicado em 09/08/2016 - 22:53

 

Os Jogos da Rio 2016 mal começaram e o comportamento da torcida brasileira já é discutido entre os estrangeiros. O jornal americano “New York Times” publica nesta segunda-feira (8) que “a exuberância dos fãs locais” está se chocando com os pedidos de silêncio por parte dos atletas e de funcionários da organização dos jogos.

Segundo a reportagem, que aparece em destaque na primeira página do site, os pedidos de “Silêncio! Shh!” podem ser ouvidos em diversas disputas, desde no tênis de mesa até na natação e no vôlei de praia. “Enquanto cada esporte tem seu próprio costume de quando é apropriado torcer e quando o silêncio é esperado, nada disso se aplica aqui”, escreve o repórter Andrew Keh, no Rio de Janeiro.

O comportamento da torcida é mais impressionante nas partidas de tênis de mesa, segundo ele, onde os atletas dão valor ao silêncio, que os permite ouvir o som que a bola faz ao bater na raquete do adversário e reagir de maneira mais adequada.

Siga-nos no Facebook e no Twitter

A partida disputada pelo brasileiro Hugo Calderano contra Tang Peng, de Hong Kong, foi citada como um exemplo de “cenas incomuns” que foram vistas no último final de semana: a torcida gritava a cada vez que o brasileiro acertava um ponto e que Tang errasse. Comemorar o erro do adversário não é comum no esporte, como disse ao repórter a mesa-tenista espanhola Galia Dvorak, que enfrentou Gui Lin, representante do Brasil.

No Twitter, enquanto assista a Calderano, o repórter comentou: “Hugo Calderano está jogando agora, e o pavilhão de tênis de mesa parece um estádio de futebol”.

A BBC também publicou nesta segunda uma reportagem em que cita a repercussão sobre a torcida brasileira em outros veículos da imprensa internacional e nas redes sociais.

/G1

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE