quinta-feira, 30 de março de 2017

Niterói, RJ

Sindicalista culpa petroleiros por fechamento da Ponte Rio-Niterói

Publicado em 11/02/2015 - 16:32

Declaração foi feita na Rádio CBN.

0 - ponte-sindicato

Dilson Ornelas, Niterói Urgente.com

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Empregados em Empresas de Montagem e Manutenção da Cidade de Itaboraí (Sintramon), Paulo César dos Santos Quintanilha, o PC, disse durante entrevista à Rádio CBN na manhã dessa quarta-feira (11) que a manifestação que fechou a Ponte-Rio Niterói por mais de duas horas ontem, ocorreu porque militantes do PSTU que atuam no sindicato dos petroleiros pararam os ônibus dos trabalhadores na ponte.

Manifestação de operários do Comperj fechou a Ponte

Segundo ele, os trabalhadores haviam decidido em uma assembleia feita em Itaboraí, que seguiriam direto para o prédio da Petrobras, onde pressionariam a empresa a fazer os pagamentos dos salários atrasados em lugar da Lumini Engenharia, como quer a Justiça. Mas, disse Quintanilha, “os ônibus foram interceptados por carros do Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros (Sindipetro-RJ), composto por militantes do PSTU, na altura da Ilha de Mocanguê”.

CURTA NOSSA PÁGINA

PC contou que não estava presente entre os trabalhadores que deveriam ter seguido direto para a Avenida Chile, onde fica a sede da Petrobras. Mas soube que os trabalhadores do Comperj foram convencidos a seguir a pé pela Ponte. De acordo com ele, quando os trabalhadores ocupavam os ônibus ainda em Itaboraí, já havia um carro nas proximidades, com os adesivos do Sindipetro-RJ.

0 - ponte-sindicato-petrobras

Em seu site, o Sindipetro-RJ postou uma reportagem da Agência Petroleira de Notícias referindo-se à manifestação que parou o trânsito na Ponte, mas não assumiu a autoria da ideia de marchar de Niterói ao Rio de Janeiro. Os petroleiros exigem o “fim da corrupção na Petrobrás com a prisão de todos corruptos e corruptores e o confisco dos bens desses bandidos”.

Essa reportagem tentou entrar em contato com o Sindipetro-RJ, por telefone, mas não chegou a haver contato.

Com informação da Rede Petroleira de Notícias

 

Veja também

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE